Quinta-feira, 27 de Setembro de 2007
Lua Cheia na Serra do Anjo da Guarda

ASimões,27set07 - Os moinhos na Serra do Anjo da Guarda, Pousaflores, em noite de lua cheia



publicado por olhadela às 23:23
link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De Bernardo Barbosa a 7 de Novembro de 2007 às 15:27
Esta foto está mesmo muito bem tirada; brutal! Também gostei muito das fotos do pôr e nascer do Sol, acho que captas muito bem o as diferentes estações do dia.

parodiabarbosiana.blogs.sapo.pt


De olhadela a 8 de Novembro de 2007 às 03:10
Agradeço o elogio. Confesso que adoro a noite desde o momento em que o Sol se começa a deitar até ao momento em que esfrega os olhos. Mas sou um amante da fotografia com pouca prática. As suas palavras confortam-me.


De João Forte a 28 de Fevereiro de 2016 às 20:28
Viva! Queria só fazer uma pequena correcção. O nome oficial e legal da serra é "Serra da Portela" e não serra do anjo da guarda. Anjo da guarda utiliza-se apenas para a capela e para o miradouro.http://azinheiragate.blogspot.pt/2013/11/serra-do-anjo-da-guarda.html

Os meus cumprimentos.

João Forte
Geógrafo


De António Simões a 29 de Fevereiro de 2016 às 00:32
Pois, isso é o que a cartografia desatualisada diz. Mas eu sou daqui e vivo aqui há cerca d 63 anos e conheço esta serra como Serra do Anjo da Guarda. Portanto a cartografia que se atualize.


De João Paulo Forte a 29 de Fevereiro de 2016 às 21:55
Uma coisa é o Sr. conhecer essa serra por esse nome, outra coisa é o nome oficial e legal da serra ser mesmo Serra da Portela (facto) e não outro. Lembre-se que foram os seus antepassados que baptizaram essa serra, não foi a igreja. Quando o Sr. nasceu o nome da serra já era Serra da Portela e nunca mudou. Lembre-se que a cartografia é actual e é a tradução fiel do conhecimento da comunidade. Ou seja Serra da Portela é o único topónimo, secular, para essa serra. Compreendo que não entenda muito de cartografia, mas as regras existem por algum motivo. Por essa (i)lógica, de x em x tempo uma mesma comunidade alterava os topónimos a seu belo prazer, apagando a história local. Falando em história, esquece-se de dizer que os mais velhos continuam a denominar essa serra pelo seu nome correcto. Em 2005, quando fazia investigação nessa área, reparei também que há atritos, meio escondidos, entre o pessoal de Pousaflores e o pessoal da Portela de S. Caetano, porque será?! E há um outro pormenor, a maior parte das pessoas que ainda trata a serra pelo seu não nome, não sabe sequer o seu nome, sendo enganada cada vez que alguém diz que é a serra do anjo da guarda (anjo da guarda é apenas a capela e o miradouro). Isso aconteceu também comigo, mas só até há coisa de 15 anos. A Serra da Portela tem sido despojada dos seus maiores tesouros. Na década de 80 rebentaram com ela, com uma máquina e hoje em dia continuam a insistir em dizer às pessoas que o nome da serra é outro que não o seu nome, ou seja Serra da Portela. Pela calada, querem impor o vosso capricho. Resumindo, há uma diferença muito grande entre você dizer que aquela serra tem o nome de serra do anjo da guarda e ela ser isso mesmo. Legal e oficialmente é Serra da Portela, goste ou não. Respeito que você a trate por esse nome, a título pessoal contudo não sou obrigado a seguir os seus gostos pessoais, apenas a tratar a serra pelo seu nome oficial e legal. Enquanto cidadão e geógrafo será essa a minha posição, em defesa do património local. Os meus cumprimentos.


De António Simões a 1 de Março de 2016 às 21:57
O mundo muda a cada momento. E o facto de ser Serra da Portela ou do Anjo da Guarda, ou de Viseu ou de Coimbra, para mim dá o mesmo. Em Fevereiro de 2003,há 16 anos já eu critiquei as informações de alguns mapas existentes, em relação a vários pontos da nossa região. Por isso, o facto de ser Serra da Portela, tudo bem, depende do sítio onde estamos. Aqui de Pousaflores eu vejo a Serra do Anjo da Guarda, e daqui a 100 anos, outra gente verá o mesmo ou outra coisa diferente. Dá igual. Mas administrativamente eu respeito o que for considerado. E se é Serra da Portela, pois que seja. E atenção, contra o que diz, não há qualquer desaguisado entre as gentes daqui e das Portelas, muito menos por este motivo....


De João Forte a 3 de Março de 2016 às 00:27
Sobre o "desaguisado", possivelmente não me explanei bem (mea culpa). Queria dizer que não há concordância entre os habitantes de Pousaflores, da Portela de S. Caetano, da Gramatinha, etc, nesta questão. Há uns anos, quando entrevistei algumas pessoas de idade muito avançada, apercebi-me disso. Aproveitando o diálogo estabelecido, e tendo em conta que há uns anos elaborei um pequeno trabalho de investigação sobre história ambiental da Serra da Portela, posso dar-lhe conhecimento de que daqui a mais uns tempos, irei voltar a pegar nesta questão, mas de uma forma mais séria, com vista a um artigo científico. Isto por dois motivos, o de ainda ter uma imagem, esbatida, de como era a serra antes da máquina ter revirado tudo. Não me lembro de foi no fim da década de 80 ou mesmo no início da de 90. Lembro-me de ter ficado desolado com o facto. O outro facto é que tenho um artigo que, embora elaborado há 5 anos, apenas agora viu a luz do dia (péssima gestão por parte da organização). Como sei que também é apreciador e activista da temática patrimonial, deixo-lhe a referência do artigo, caso queira um dia ver com calma: Forte, J.; Medeiros, S.; Silva, L.; Neves, H.; Medeiros, G.; Alves, P.; Ferreira, C.; Silva, M.; Neves, C.; Mendes, H. (2011) – “ Dos moinhos de vento às torres eólicas: contextualização do aproveitamento da energia eólica no âmbito do património natural e cultural na região de Sicó”. Actas do I Congresso de História e Património da Alta Estremadura, 28 a 30 de Outubro de 2011, Ourém.


Comentar vistoria

>visionar neste blog
 
>Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30